O Lebiste

 

O Lebiste “é um pequeno peixe de água fria que no estado selvagem atinge um comprimento, nas fêmeas, de 4 a 7,5 cm, e nos machos , de dois terços deste comprimento. As fêmas têm uma cor cizento escura , pouco atraente, tendo cada escama um rebordo escuro; os machos apresentam cores muito vivas e bastante diferentes entre si.

O Lebiste é um dos vários tipos de peixes que dão à luz crias vivas ( 0vovivíparos), o que o torna particularmente interessante. Muitos amadores de criação de peixes em aquários procuram reproduzir várias espécies de peixes de aquário, e acabaram por abondanar a todas em favor dos Lebistes, devido à sua beleza, adaptabilidade e outras qualidades.

Os Lebistes são peixes de superfície omnívoros. A boca virada para cima é uma prova evidente deste fato. Realizam tarefas muito importantes para o homem, comendo a forma lavar dos mosquitos, contribuindo assim, materialmente, para o nosso conforto.” ¹

Atualmente a criação de Lebistes é difundida no mundo todo com o nome de Guppy.

 

História e seu habitat

 

•  História: “O nome cientifico do peixe é Lebistes reticulatus (Peters). Lebistes é o nome do género; reticulatus é o seu nome específico. Peters é o nome do seu descobridor europeu: Wilhelm C. H. Peters encontrou este peixe numa coleção trazida da Venezuela para a Alemanha, em 1859. Descreveu-o como Poencilia reticulata , pensando que, dada a sua semenhança com outros peixes do género Poencilia , pertencia a este. Em 1861, Filippi, um espanhol, descreveu a mesma espécie encontrada em um carregamento de peixes vinda de Barbados. Se bem que também ele notasse a semelhança com o género Poencilia, decidiu porém que constituíam um tipo completamente novo e designou-os por Lebistes poencilia.

De Trinidad, uma ilha perto da costa da América do Sul, veio um Lebiste um pouco diferente, enviado para o British Museum em 1866 pelo Reverendo Robert John Lechmere Guppy, um inglês de nascimento, mas com longínqua ascendência francesa. Esses Lebistes de Trinidad foram primeiramente considerados uma nova espécie, sendo designados por Albert K. Guenther, diretor do Museu, Girardinus guppyi.

Para evitar toda esta confusão de nomes, os ictiólogos, no interesse do rigor científico, designaram-no finalmente por Lebistes reticulatus.

Segundo Fraser-Brunner, a primeira pessoa que tratou esta espécie em tanques foi o Capitão J. M. Vipan, um colecionador do Museu Britânico. Numa memo'ria dos Zoological Societies Proceedings, o capitão Vipan sublinhava o valor do peixe na destruição das larvas. Em 1909, Vipan cruzou Lebistes de Barbados, Trinidad e Venezuela, demosntrando assim a inter-fertilidade das várias subespécies.

Na Alemanha, país onde a criação de peixes era mais florescente do que em qualquer outro sítio, este peixe ganhou grande popularidade. Os aquaristas esqueceram o «i» de guppyi, e passaram a designá-lo pela palavra «guppy». Hoje em dias, é conhecido por este nome em todo o mundo.” ²

•  Habitat: “Inicialmente o Lebiste era chamado o «peixe milhão», talvez devido ao fato de se reproduzir muito rapidamente quando a comida é abundante.

Muitos carregamentos deste peixe foram perdidos por se tentar introduzir o animal em locais inóspitos, mas actualmente o Lebiste está estabelecido no estado selvagem em numerosas partes do mundo.(...)

É uma pena que não tenha sido realizado um estudo sobreo seu habitat original,

antes de ter sido ocorrido a sua distribuição pela mão humana.

Nos trópicos, este peixe encontra-se extremamente generalizado.(...)

Atualmente, em todos os lados onde se faz criação de peixes, em toda a superfície da terra e por pessoas de todas as nacionalidades e raças, o Lebiste ocupa geralmente uma posição importante, se não a mais importante, entre os peixes favoritos.” ³

¹, ² e ³ Estes textos foram extraídos da Colecção Habitat Leon F. Whitney e Paul Hahnel: O Livro dos Guppies , 1980 . Substituí algums termos por exemplo guppy, guppies por Lebiste e Lebistes devido a minha preferência pessoal ou devido a termos atualmente utilizados sem perda do sentido!