Manutenção e Qualidade da Água

Vamos agora falar da manutenção e de alguns simples procedimentos que garantirão a qualidade da água necessários para um perfeito equilíbrio biológico do nosso aquário.

•  Localização: A escolha do local deve ser criteriosa, pois devemos considerar que o aquário possui uma certa quantidade de água e para cada litro teremos um quilo de peso. Portanto devemos buscar um local firme e nivelado, com pouca iluminação natural (evita proliferação excessiva de algas nas paredes do aquário ), de preferencia onde possamos visualizar os dois lados do aquário, como se fosse um divisor de sala.

•  Iluminação: Deve permanecer de 8 a 12 horas diárias, variando conforme a claridade natural do ambiente, portanto um timer se faz necessário, pois é importante que o peixe durma no período noturno. Devemos substituir as lâmpadas fluorescentes anualmente devido o desgaste há perda de eficiência.

•  Temperatura: Apesar de possuirmos um termostato para controlar a temperatura se faz necessária uma leitura periódica do termômetro para evitarmos que uma pane no mesmo não desligue o aquecedor o que irá causar elevação excessiva da temperatura e poderá cozinhar os peixes. Por outro lado se o aquecedor queimar e a temperatura cai abaixo do permito (25ºC para peixes tropicais) as doenças oportunistas poderão atacar nossos peixes .

•  Limpeza interna dos vidros: As algas verdes se formam naturalmente internamente nos vidros laterais do seu aquário, isto significa que a qualidade da água é boa, porém prejudicam a visão interna do aquário. Já existem nas lojas especializadas dois tipos de limpadores, um com um cabo longo e outro magnético que não necessita a remoção de tampas e tocar na água (podemos ainda acrescentar alguns peixes conhecidos como “Limpa-vidros”como “Cascudos”, “Coridoras” e “Botias” que se alimentam destas algas, desde que não se quebrem o equilíbrio biológico dos peixes que já estão no aquário comunitário).

•  Troca parcial: Quando observarmos que os peixes começam a “boquejar”na superfície da água à procura de oxigênio é hora de efetuarmos uma troca parcial de até 10% a 20%( normalmente ocorre a cada 2 ou 3 semanas . Para efetuarmos este procedimento é importante desligarmos todos os equipamentos elétricos 5 minutos antes (o aquecedor têm que esfriar por 5 minutos antes de ser retirado da água, pois poderá quebrar-se com o choque térmico) e retirá-los momentos antes da troca, facilitando a mesma. Devemos então utilizar a mangueira com o sifão e o balde para aspiramos os resíduos sólidos do fundo do aquário sem retirar o substrato e as bactérias benéficas.

Estes resíduos sólidos sofreram uma degradação por bactérias e fungos consumindo parte do oxigênio (oxidante) e se tornaram amônia (NH 3 e NH +4) substância altamente tóxica e letal se em grandes quantidades para os peixes do aquário. Portanto efetue medições regulares dos níveis de Amônia conforme os produtos disponibilizados nas lojas especializadas.

Não se preocupe, após alguns dias a própria microbiologia do aquário criará outras bactérias (Nitrosomonas) que transformarão a Amônia em Nitrito ( NO ¯2 - Ácido compostos de oxigênio e nitrogênio trivalente, menos tóxico e já absorvido pelas plantas como nutriente) e o Nitrito em Nitrado (NO 3 - Sal ou éster do ácido nítrico) por bactérias nitrobacteriácias. O Nitrito servirá como adubo para suas plantas aquáticas sem prejudicar seus peixes!

•  Eliminação do cloro : O cloro é altamente tóxico aos peixes podendo levá-los à morte em poucas horas, portanto devemos garantir a isenção total de cloro na água que será reposta no aquário!

Há duas formas de efetuarmos a remoção do cloro, a primeira é deixando descansar em outro balde a água da torneira por um período não inferior a 48 hs. A segunda é colocando um neutralizador e medindo o nível de cloro com um teste após o tempo determinado no neutralizador e efetuar este procedimento até a retirada total do cloro.

•  Alimentação: Existem no mercado diversas marcas de produtos nutricionais já segmentados: rações extrusadas, rações floculadas, alimentos desidratados e alimentos vivos. O mais importante é que qualquer alimentação têm que ser balanceada deacordo com o tipo e o volume dos peixes do aquário. Devemos observar a palatabilidade (sabor) e a digestibilidade: - Os alimentos produzidos têm formato, dureza, flutuabilidade, densidade e solubilidade diferentes para cada tipo de peixe. Se o alimento for industrializado verifique a validade e dê preferência a alimentos leves e nutritivos, com granulações adequadas ao tamanho da boca dos seus peixes; se o alimento for vivo devemos ter o cuidado de checar a procedência e analisarmos o estado do alimento antes de oferecermos aos nossos peixes.

Portanto a alimentação é um item muito importante na manutenção do aquário devendo ser consumida na quantidade certa evitando desperdícios e restos desnecessários que gerarão Amônia e a antecipação da troca parcial, isto é, consumida no máximo em 5 minutos e ser oferecida varias vezes ao dia .

•  Equilíbrio Biológico, Dureza Total, pH: Devemos monitorar estas situações sem interferir no habitate de nossos peixes. Existem testes e condicionadores de água já industrializados e disponíveis nas lojas. Como cada tipo de peixe pede um ajuste devemos ter o cuidado equilibrarmos o aquário antes de povoá-lo.

Utilizaremos filtros e sifonagem para manter o Equilíbrio Biológico, já para a Dureza Total devemos considerar o pH.

O pH baixo, isto é, na escala de pH abaixo de 7.0 a água é considerada ácida e “Mole” (Dureza Total) pois possui substâncias ácidas amolecem a água.

O pH neutro ou 7.0 na escala ocorre quando há um equilíbrio entre as substâncias ácidas e alcalinas.

O pH alto ou acima de 7.0 na escala tem uma água considerada “Dura” por possuir em sua composição sais de cálcio e magnésio (carbonatos ou bicarbonatos) que endurecem a água por serem partículas mais sólidas.

A Dureza da água influencia uma série de funções orgânicas dos peixes e qualquer mudança na Dureza ou pH devem ser efetuados de forma gradativa evitando choques químicos e sérios problemas aos peixes do aquário.